Gastrô

Vinhos rosés se destacam no Inverno

Com o inverno chegando com tudo no Brasil, os vinhos tintos acabam ganhando um maior espaço nas adegas e mesas dos brasileiros por terem características mais fortes. Porém, ao redor do mundo as pessoas estão descobrindo, na versatilidade dos vinhos rosés, uma grande oportunidade de ampliar os sabores de pratos típicos da temporada como Fondues e strogonoffs.

“Só beber vinho rosé no verão é como dizer que só se pode beber vinho tinto depois do anoitecer. O Rosé é como todos os outros tipos de vinhos, você deve beber quando quiser”, explica Hildebrando Lacerda, diretor comercial da marca do Brasil.

A empresa é a distribuidora de cerca de 100 rótulos de vinhos, entre brancos, tintos, espumantes e rosés, originários da Espanha, Itália, França e Chile. Outra proposta da empresa é apresentar novidades e tendências como foi o caso da marca Rosé Piscine, que hoje conta com três produtos Rosé Piscine Stripes, para ser apreciado com duas pedras de gelo; SeaSun, para ser degustado apenas refrigerado e a espumante Freez, também para ser servido com gelo.

A linha Rosé Piscine é o nosso carro-chefe, justamente pela versatilidade que a bebida oferece. Tanto que o Rosé Piscine Stripes, que é o principal produto da marca, foi o vinho Rosé Francês mais vendido no Brasil por dois anos seguidos, em 2018 e 2019”, completa Lacerda.

Produzido na região sudoeste da França, em uma das vinhas mais famosas da região, a bebida tem em sua composição a uva 100% negrete e o paladar é de um vinho rosé de mesa suave, de aroma levemente frutado que traz notas de pêssego, limão e morango, com um toque especial de lichia que dá um toque exótico. “O Rosé Piscine Stripes traz uma concentração de açúcar que exige que ele seja degustado com 2 ou 3 pedras de gelo deixando-o mais equilibrado, mas sem perder o sabor”, explica o executivo.

 

“A idéia de que o rosé só é apreciado em clima quente está felizmente ficando defasada. As pessoas estão entendendo que é possível trazer a energia e o calor de uma bebida até então tida como típica do calor, para o inverno… acredito até que esse conceito faça um bem para a nossa cabeça, hehehe” finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também...

Fechar
Fechar